Metaverso é o novo pilar do comércio omnicanal, analisa varejista ap
image

Metaverso é o novo pilar do comércio omnicanal, analisa varejista após participação na NRF

Outra tendência para o setor é o chamado think global, get local

 

Varejistas brasileiros estiveram presentes na NRF Retail’s Big Show, o maior e mais tradicional evento de varejo do mundo. Entre eles, a diretora de marketing da Rede Dalben Supermercados, Fernanda Dalben, que destacou que o metaverso é o novo pilar do comércio omnicanal. “Criar produtos exclusivos digitais e que podem ser comercializados (criptomoedas). Não se trata mais de pensar em omnicanalidade, mas na formação de um sistema de gestão de experiências, que combine e se desdobre por lojas físicas, virtuais e no metaverso”, afirmou Fernanda.

 

O evento apresentou palestras e seminários com participação dos CEOs dos maiores e mais inovadores varejistas abrangendo temas como: tendências de varejo, inteligência artificial, omnichannel, mídias sociais, comportamento do consumidor, novos conceitos de negócio, experiência de compra, marketing e administração de marcas, design, visual merchandising, operação de lojas, cadeia de suprimento, novos meios de pagamento e big data.

Outro ponto abordado foi a experiência de compra do consumidor, que aumentou sua expectativa e busca cada vez mais por recompensa imediata e instantânea; o cliente vai demandar agilidade e velocidade na entrega e acesso de produtos.

 

Além disso, a executiva lembra que o cliente procura por tecnologia e afinidade com a marca. “A geração Z ama as marcas e espera encontrar aquelas que consigam ser autênticas e que estejam alinhadas com valores que são relevantes, como por exemplo, causas a favor da igualdade e sustentabilidade”, disse.  

 

A NRF também debateu sobre o mote “think global, get local”. Para Fernanda, os mercados de vizinhança estão em alta, e as empresas devem pensar globalmente, mas agir localmente. Ou seja, pensando no “get local”, quando o cliente quer consumir os produtos e serviços cada vez mais próximos de casa.

 

O consumidor está cada vez mais adaptado ao home office, e busca soluções simples e práticas perto de casa. No entanto materializar isso para os regionais continua sendo um desafio. Marcas locais tendem a crescer também e, nesse sentido, passarão a ser concorrência para os regionais ou nacionais que também buscarão esse espaço disputado.