Comércio pede novas restrições no Pix para evitar fraudes
image

Comércio pede novas restrições no Pix para evitar fraudes

Entidade sugere restringir transferências imediatas para contas que possuem menos de três meses e mais critérios para aberturas de contas digitais

image

A Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (Fecomercio-SP) quer mais restrições para evitar fraudes no Pix. A entidade sugeriu ao Banco Central que as transferências imediatas para pessoas físicas que tenham contas abertas há menos de três meses sejam restringidas e que os protocolos para abertura de contas digitais sejam reforçados, sobretudo na confirmação da veracidade dos documentos enviados pelos clientes.

 

O reforço na segurança pode ser feito, segundo a Fecomercio-SP, por meio de reconhecimento facial, biometria ou código PIN. Por fim, a entidade recomendou que nas três primeiras operações pelo Pix, os novos usuários realizem uma dupla checagem por meio da confirmação de dados via celular ou e-mail para permitir a rastreabilidade das informações.  

 

Vale lembrar que o Banco Central já colocou em prática mudanças como a opção de limitar o valor das transações no período noturno, por exemplo.