Comércio de olho no Dia dos Namorados
image

Comércio de olho no Dia dos Namorados

Vendas deverão ser mais tímidas que as do ano passado, mas criatividade do varejo pode despertar o ‘crush’ entre os casais. Expectativa é de que 54% deles presenteiem

 

O Dia dos Namorados chega para estimular o comércio que segue tentando retomar as vendas diante das perdas geradas face os reflexos da pandemia do Coronavírus, seja na ordem econômica, seja na mudança de comportamento dos consumidores. Uma pesquisa feita pela Fecomércio-RS estima que 54,5% dos casais pretendem comprar presentes para seu amor. Apostando na data, o Sindilojas Regional Bento incentiva as empresas associadas a investir na criatividade, em promoções e em ferramentas digitais para atrair a atenção dos consumidores e aquecer as vendas no período.

 

Passado um ano da pandemia, o número de pessoas que teve sua renda reduzida aumentou, chegando a 57% na pesquisa. Com isso, a intenção de compra também reduziu, caindo de 62,5% para 54,5%. O gasto médio, por pessoa, em 2021, deverá ser de R$ 162,27 sendo que os homens deverão apresentar um gasto médio de R$ 186,80, enquanto as mulheres gastarão R$ 133,81. Realizada entre 13 e 22 de abril de 2021, por telefone, a pesquisa entrevistou 385 pessoas de diversas cidades gaúchas.

 

A pesquisa destaca como os principais locais de compra as lojas do centro das cidades (48,8%), seguidas pelos Shopping Centers (24,2%) e Internet (17,1%), sendo os preços (39,7%), a existência de promoções (20,3%) e o atendimento (16,4%) os três fatores mais citados como determinantes do local de compra. “A pandemia mudou o hábito de consumo, levando as pessoas cada vez mais para o digital. Mesmo sabendo que as compras em lojas físicas ainda são maioria é importante que os lojistas atentem para o digital, usando as redes sociais para potencializar suas vendas”, destaca o presidente do Sindilojas Regional Bento, Daniel Amadio, que reforça o pedido aos lojistas para seguirem os protocolos de segurança e seguirem com a vacinação.

 

Na comparação com o Dia dos Namorados do ano passado, entre os que realizaram compras em 2020, 46,9% dos consumidores devem gastar o mesmo do que no ano anterior, enquanto 41,0% sinalizaram que terão um gasto menor ou muito menor. A parcela de consumidores que pretendem gastar mais ou muito mais do que em 2020 é de 12,2%.

 

Os tipos de presentes mais frequentes serão vestuário (35,6%), perfumes e cosméticos (22,9%) chocolates (11,7%) e calçados (11,7%); enquanto 14,5% não sabiam ou não haviam decidido. Quanto às formas de pagamento, 73,5% pretendem realizar compras à vista e entre os que pretendem comprar a prazo, 66,7% pretende pagar em duas ou três parcelas sugerindo cautela diante do cenário econômico num futuro próximo. Entre os entrevistados, 40,5% das pessoas pretendem proporcionar algum evento especial em comemoração ao Dia dos Namorados, sendo que desse total 37,3% optaram por almoço ou jantar em bares e restaurantes, enquanto 35,5% optarão por almoço ou jantar especial em casa. "Nosso desejo é que os casais prestigiem o comércio local, fortalecendo a economia da cidade", conclui Amadio.