Sindilojas no Observatório Social de Bento Gonçalves
image

Sindilojas no Observatório Social de Bento Gonçalves

Desde a criação da instituição, Sindicato sempre atuou voluntariamente em sua operação dedicado à justiça social e hoje comemora resultados

 

O Sindilojas Regional Bento foi decisivo para a vinda do Observatório Social do Brasil para a cidade há 5 anos. No Estado, esta foi a 12ª unidade instalada. Os primeiros passos foram dados tendo como presidente o dirigente Daniel Amadio, que segue à frente do Sindilojas. Hoje, a presidência está com Aiala Premaor, jovem liderança que ganhou destaque junto ao Sindilojas Jovem de Bento Gonçalves. A aposta da entidade na instituição se justifica pelo seu papel em relação a justiça social.

 

No final de maio, no Plenário da Câmara de Vereadores de Bento Gonçalves, Aiala, que assumiu o compromisso em substituição a Fernanda Titton, fez sua primeira Prestação de Contas, referente ao primeiro quadrimestre de 2021. O trabalho de acompanhamento em seis processos de licitação do Legislativo resultaram numa economicidade de 9%, o equivalente a R$ 9,5 mil. Já no Executivo, no mesmo período, foram 133 licitações com uma economicidade gerada de 23%, correspondente a R$ 17,3 mil.

 

Ao monitorar a gestão pública numa atuação preventiva e pró ativa, na busca da qualidade da aplicação dos recursos e na sustentabilidade do setor público em defesa da transparência, além de contribuir para esta economicidade, o Observatório Social também se manifestou através do envio de oito ofícios com questionamentos e sugestões, tanto para o Legislativo, quanto para o Executivo. Apartidário, o Observatório Social é um espaço para o exercício da cidadania, portanto democrático. Sendo assim, participam empresários, lideranças, profissionais, professores, estudantes, funcionários públicos e outros cidadãos que, voluntariamente, desejam se dedicar à causa da justiça social.

 

Para Amadio, a implantação do Observatório Social de Bento Gonçalves trouxe um novo momento para a sociedade. “Os recursos públicos nada mais são do que dinheiro da sociedade arrecadado através de impostos. Saber o que é feito com ele não é apenas um dever, mas um direito de cada cidadão”, destaca. O mesmo pensamento é compartilhado por Aiala que abraçou o desafio tendo como bandeira a defesa da prevenção do controle social dos gastos públicos.

 

O Observatório Social é uma instituição não governamental, sem fins lucrativos. Funciona como pessoa jurídica, em forma de associação, primando pelo trabalho técnico com uso de uma metodologia de monitoramento das compras públicas em nível municipal, desde a publicação da licitação até o acompanhamento da entrega do produto ou serviço.

 

Além disso, o OS atua em outras frentes. Uma delas é a educação fiscal, demonstrando a importância social e econômica dos tributos e a necessidade do cidadão acompanhar a aplicação dos recursos públicos gerados pelos impostos. A inserção da micro e pequena empresa nos processos licitatórios também é atendida, contribuindo para a geração de emprego, para o aumento da concorrência e para a qualidade e preço nas compras públicas.